segunda-feira, maio 31, 2010

Perfume de Amargura


Não esqueço sua face na chuva fina,
cada lance é motivo de saudade!
Sem rumo, ignoro a velocidade...
...seu rosto some na triste neblina!

O mundo era nosso...Ela estava linda!
Esqueci o tempo...Não vi a mocidade,
seus olhos resumiam felicidade;
Tenho, oculto, o "amarige" que fascina!

Sem a sua voz minhas horas são tristes,
sem ela parte de mim não existe;
Perco a noção da noite e do dia.

Já aceito o desencontro, calado!
Culpo o momento do longo passado,
marco a lembrança na minha poesia!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1149255

Imagem do Blogue:
http://versoeprosapoemas.blogspot.com/

domingo, maio 30, 2010

Minha Musa, Meus Olhos!...



Por séculos ficaste no cristal;
Vieste pra mim miraculosamente,
num jato de luzes!... Jeito silente,
do arranha-céu, do espaço virtual!...

Avancei o limite do tempo real;
Amei teu corpo minuciosamente!
Dei-te o prazer da minha carne quente!
... e tu me chamaste de Magistral!

Ah! Teus cabelos!... Um raro “shampoo”!
Adorei teu corpo todo nu,
enquanto caía a chuva prateada...

Chorei muito a tua partida, meu astro!
Hoje fito as estrelas do espaço!...
Bem sei que tu voltarás da jornada!

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T963820

Imagem Gentilmente dedida pelo Blogue

quinta-feira, maio 27, 2010

Meu Cisne



O´ Cisne branco de voz tão pura!
Nesta tristeza, chegaste de mansinho;
Embebi na tua paz, no teu carinho;
Esqueci o pretérito de amargura!

Ouço tua cantiga... É só ternura
a alumiar o meu denso caminho!
Transformaste em flor o meu espinho;
Não sofro mais na noite escura...

Ah! Cisne branco, eu queria apenas
acariciar a tua face pequena,
que a minha existência abençoa.

Ah! Cisne branco! Teu perfume exprime
Este momento grande e sublime!
...nas tuas asas... meu espírito voa!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1075845

Imagem extraída do blog:
http://blogrenataeuedai.blogspot.com/

quarta-feira, maio 26, 2010

Rosas Com Amor



Sonhei com lindas pétalas de rosa!...
Viajei pela Via Láctea com teu olor...
Embebi-me nos versos e nas prosas,
Uma emoção invadiu-me: - Suave ardor!

Encontrar-te-ei, imagem majestosa!
Tenho uma visão terna! - Cheia de amor!
Estou em ti, minha estrela graciosa
Meu coração saltita! – Um beija-flor!

No “trailer” do filme: - Ah! Teu (meu) perfume!
Do teu longa-metragem fiz meu lume
Tenho comigo o teu riso feliz!

Tuas mãos nos meus cabelos! - Que carícia!
Tua luz se destaca na tez macia:
- Descrevo, amor, o momento feliz!

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1252653

Imagem extraída do blog:
http://rosasolidao.blogspot.com/

segunda-feira, maio 24, 2010

Último Soneto


Este soneto,
gentilmente foi publicado no blog da Minha Amiga
Reggina Moon:


Exigi o teu amor qual insano Rei;
Anelei o mundo celeste, calado;
E em delírios pensei estar ao teu lado,
Sentir teu cheiro, tua pele... não sei!

Mas o teu motejo tudo apaga,
Teu perfume e desvelo... não os verei.
Hoje feliz nas tuas noites... bem sei!
Meus sonhos p’ra ti não valem nada.

Tento a saída com os olhos túmidos;
Foi-se o Eldorado... os risos úmidos,
Afundo, entre lágrimas na procela.

Estou só. Ilusão querida. Oh lírios!
A solidão: Um rio de martírios;
... as águas levaram a noite bela!...

(Machado de Carlos)

Publicado no Recanto das Letras em 31/08/2008
Código do texto: T1155073

domingo, maio 23, 2010

Imenso Amor - “Immense Love”



Atenção!


“Immense Love”


(Este soneto: Imenso Amor, em Português, consta no “site” acima sem os Devidos Créditos para o Autor Machado de Carlos.)

I drink the cup of your love …
With you there refuge, beloved moon.
I am vile, and I see you completely naked …
And on Saturday, envision your love.

Been offering up a title with love …
In minutes the illusion floats,
Your feet audible adorn the street
I seek the skies nectary of love.

In your face is that the efflux perfumes,
Tale of gold petals one by one …
Your words sound like a hymn! …

Shy … kiss your hair, my star!
I have your smell … your song … your trail...
Eternal God is your body! …

Machado de Carlos

Imenso Amor

Bebo do cálice do teu amor...
Em ti encontro o refúgio, amada lua.
Ignóbil eu sou, e, vejo-te toda nua...
E no sábado, vislumbro o teu amor.

Oferto-te um título com amor...
Nos minutos a ilusão flutua,
Teus pés audíveis enfeitam a rua,
Busco nos céus o nectário do amor.

No teu rosto há o eflúvio que perfuma,
Conto pétalas d´ouro, uma a uma...
Tua expressão soa como um hino!...

Tímido...beijo os teus cabelos, meu astro!
Tenho o teu cheiro... teu canto... teu rastro...
Eterno será teu corpo divino!...


Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras em 27/07/2008
Código do texto: T1099387

 



sexta-feira, maio 21, 2010

Cavalgada


Cavalgada

Lá na alcova estelar de jade,
a lua iluminou o instante!...
Cantei a canção mais inebriante...
E imitei a pose do vate!

Releio frases – o pranto me invade!
Declaro um amor estonteante;
assim foi aquela noite brilhante!...
Atiro-me ao sonho: - é saudade...

Demoli um amor mesmo incerto;
relembro cada sílaba do verso,
e enamoro a peça cor lilás.

Cultivo o escrínio; raro vinho
antigo: lembra a pele de arminho!
- lanho-me ao romance fugaz!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1390758

quarta-feira, maio 19, 2010

Voltei, esqueci...


O túnel é a antítese da história
Troquei o tempo, hirto, sem marcas...
Tomei a taça de anisete, - teu tudo.
Toquei a antologia; um antúrio, uma estrela...

Por um triz a tília tremeu, triste!
À tarde, ao horizonte, chorei o mito,
Lá estava o vestido hirto e esterno...
Beijei tua marca, teu tudo, a história...

Neste túnel está o nosso pretérito
Tenho a cicatriz e tua veste antológica,
mas o destino nos tolheu por um triz.

Tarde!... Fim do túnel. No horizonte
tomei a taça; letras da antologia!
Tens tudo, tu és o mito do tempo!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1154427

terça-feira, maio 18, 2010

HINO À MEDUSA


Mãos de bronze e cútis de puro ébano.
Em tuas asas de ouro senti a faísca!...
Ignóbil, viajei num mundo fantástico
e em êxtase beijei tua túnica.

Naveguei no Atlântico!... Eram efêmeras
as águas... Renasci nas cinzas de Fênix.
Entre pedras encontrei o Éden,
e, imóvel fiquei com o teu fascínio!

No micro frasco de rara fragrância
estava a Medusa: - Lindo ícone
a confundir o meu ego: Um mistério?!

Mas Zeus destruiu a minha fórmula...
Tremi tresloucado diante da efígie
que dourou a ilusão; um doce eflúvio!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1120548

segunda-feira, maio 17, 2010

O Castelo de Jade de Teresa


É noite!... Penso só em ti, Teresa!
No leito descanso meu corpo denso;
Ai, nos momentos de deleites penso:
- Lembras-te das horas na Fortaleza?!

Mergulhei nas tuas vestes de princesa;
Cobri de beijos o teu corpo extenso,
Grafei na tua pele o meu amor imenso;
Dei-te o prazer supremo: - Nobre Alteza!

Nunca cansava de te dar carinhos,
Suguei teu sabor, como raro vinho!
Teu nome está no meu livro eterno!...

O mar era forte e morria na praia...
Só de pensar, meu espírito desmaia!
E o verão se transformou em inverno!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1286638

sábado, maio 15, 2010

Ela Chama-se Amor


Ela Chama-se Amor!

"Aquece-me com a tua mocidade"
Olavo Bilac

Quando caminhava a passos sem cor;
A solidão era um beco sem saída.
Via a Luz! Lá estava o Show da minha vida!
... e ela veio toda vestida de amor!

Das chagas hodiernas, esqueci a dor;
A prova não estava vencida;
Ela veio, deu luz à rotina... à lida!...
... e a existência mostrou o seu valor!...

A luta impôs seu dedo em riste,
Tornei-me fraco e de mente triste
... e ela chegou com o seu coração!

Ela é a Lua, a Estrela e até o meu Sol
— Ela chegou!... (Fez-se luz do arrebol!),
Sua voz soou aos cantos como canção!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1246503

quinta-feira, maio 13, 2010

Orfeu


Orfeu

- I –

O filho da musa Calíope
Barrou o Céu com sua canção...
Eurídice perdeu a ação,
O beija-flor parou de voar,
O selvagem perdeu o medo
E a rosa bailou... Que som ouvira!...
Era sensual o tom da lira;
— Até Apolo começou a sonhar!...

- II –

Com o mimo do pai Apolo
Perfumou a noite rosicler;
Saciou a fome da mulher,
Eurídice, na alcova quente.
Mas o sádico Aristeu
Com garras afiadas, insanas,
Queria o lugar em sua cama
Com o veneno da serpente.

- III –

Eurídice – rara beleza! –
Fugiu da cínica atenção!...
E Aristeu em perseguição
Mudou o destino da sorte;
Com seu egoísmo contumaz,
Então, era o fim das luzes;
A jovem estava entre cruzes
Caíra no mundo da morte!...

- IV –

Transtornado de tristeza
Clamava: — Eurídice, amor;
Somos um corpo, uma flor!
E assim entoou seu som divino!
Foi até ao Mundo dos Mortos,
E, com a pungência do instrumento
Comovia o firmamento;
O Rio Estige era o destino.

- V -

A lira contagiou Caronte...
...E ébrio se comoveu!
O barqueiro levou Orfeu
Ao resgate da sua amada.
O tom da lira adormeceu
Cérbero, - a fera!-, um cão
Tricéfalo – o guardião.
E entraram à busca da fada!...

- VI -

As ondas da lira flutuaram...
Brilhou a mente do condenado...
Sorriu feliz o aloprado
E a noite deixou de ser vazia...
Por que o feitiço do errante?
Na primavera verdejante?!
Nasceu outro sol naquele dia!...

- VII –

Chegou, enfim ao trono de Hades.
Irritado, o Rei dos Mortos
Quis saber: - Que trilhas tortas
O vivo tomara o domínio?!
A agonia musical de Orfeu
Fê-lo chorar gotas de ferro.
Hades se esqueceu dos berros
E se transformou em menino!

- VIII -

Perséfone, esposa de Hades
Implorou-lhe comovida:
- Deixa Orfeu seguir a vida
Eterna com o seu amor!...
Hades atendeu seu desejo:
- Eurídice irá sem demora,
Antes do raiar da aurora;
Sua rotina terá mais cor!

- IX –

Eurídice voltaria aos vivos...
Hades encontrou a solução:
Mas impôs uma condição;
Orfeu não olharia para ela
Até que visse a luz do sol.
Fora, cantava o arrebol!
A vida impunha alegria,
Voltara nova primavera!..

- X -

Orfeu partiu pela trilha
Íngreme que ia pra fora do escuro...
Morcegos voavam no obscuro,
Cantavam o canto da morte!
Orfeu tocava a sua alegria!...
Guiava Eurídice à vida...
Queria o mundo colorido;
Outra existência sem corte.

...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras em 16/07/2008
Código do texto: T1083697

Imenso Amor


Imenso Amor

Bebo do cálice do teu amor...
Em ti encontro o refúgio, amada lua.
Ignóbil eu sou, e, vejo-te toda nua...
E no sábado, vislumbro o teu amor.

Oferto-te um título com amor...
Nos minutos a ilusão flutua,
Teus pés audíveis enfeitam a rua,
Busco nos céus o nectário do amor.

No teu rosto há o eflúvio que perfuma,
Conto pétalas d´ouro, uma a uma...
Tua expressão soa como um hino!...

Tímido...beijo os teus cabelos, meu astro!
Tenho o teu cheiro... teu canto... teu rastro...
Eterno será teu corpo divino!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras em 27/07/2008
Código do texto: T1099387


ATENÇÃO!

http://www.allisonmack.com/

(Este soneto consta no “site” acima sem os Devidos Créditos para o Autor Machado de Carlos.)

“Immense Love”

I drink the cup of your love …
With you there refuge, beloved moon.
I am vile, and I see you completely naked …
And on Saturday, envision your love.

Been offering up a title with love …
In minutes the illusion floats,
Your feet audible adorn the street
I seek the skies nectary of love.

In your face is that the efflux perfumes,
Tale of gold petals one by one …
Your words sound like a hymn! …

Shy … kiss your hair, my star!
I have your smell … your song … your trail …
Eternal God is your body! …


terça-feira, maio 11, 2010

Anjo Com Corpo de Mulher


Um rosto angélico caiu do Céu!...
Uma Estrela cadente caiu no Mar!...
O Anjo cantou poemas para amar;
...e absorvi o perfume do seu véu!

Escrevi uma ode de menestrel -;
...e a canção ecoou livre, ao luar!...
Sonhei!... Sonhei!... Ao som de ninar...
Ela deu-me um presente: - um anel!...

Céu e Mar: - o leme é a minha vida;
A Luz abriu as portas da saída!
Conto ondas!... Conto o azul dos meus versos!...

A voz nítida não sai da memória
Grafo a ouro a bela História;
Em suma: - o anjo é o meu Universo!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1108331

segunda-feira, maio 10, 2010

ODE CIGANA



Tu és uma miragem? Contemplo tua imagem, minha luma.
Estático, divago, mudo!
Num único ímpeto me desnudo!
Mergulho no teu mar! No teu tudo.
Ah! Na banheira, teu corpo absorto acoberta as espumas,


Somos loucos de nós, engulo a tua voz, meu mundo cora!...
De corpo e alma nos entregamos;
Nada lá fora!... Nem os desenganos!...
Agora, só nós, nus e profanos!
Louco de tensão!... Entrego-me a emoção!...Beijo tua rosa!...


Nada tem nexo, beijo teu sexo, como rei dos amores.
Ouvimos o bailar do olmeiro,
O balançar lento do veleiro;
Enquanto absorvo todo o teu cheiro!...
Estamos de passagem, numa longa viagem sem pudores!...


Em ti encontrei a minha vida, a saída para os meus tristes ais.
Declaro-te, enfim, todo o meu amor!
Assinado com o espinho da flor;
Agora a Galáxia tem mais cor!...
Vamos para o infinito, pois, tudo está escrito!... Nada mais!...


Machado de Carlos



Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1092806

sábado, maio 08, 2010

Coragem


Coragem

Mulher: - desafias o próprio norte;
Derramas, ao redor, tua energia,
Fazes da noite o teu próprio dia;
Circula nas tuas veias o plasma forte.

Dás muito de ti, e, desafias a morte;
Não ignoras teus momentos de agonia;
Defendes, rude, tua idiossincrasia,
Nem te entregas à própria sorte.

Curvo-me para ti, alma de gigante,
E sigo os teus passos itinerantes;
Deus conhece a boa filha que tu és!

Nasceste para conter o rumor,
Conheço bem o grau do teu amor;
Incontinenti beijo os teus pés!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1084202