segunda-feira, maio 24, 2010

Último Soneto


Este soneto,
gentilmente foi publicado no blog da Minha Amiga
Reggina Moon:


Exigi o teu amor qual insano Rei;
Anelei o mundo celeste, calado;
E em delírios pensei estar ao teu lado,
Sentir teu cheiro, tua pele... não sei!

Mas o teu motejo tudo apaga,
Teu perfume e desvelo... não os verei.
Hoje feliz nas tuas noites... bem sei!
Meus sonhos p’ra ti não valem nada.

Tento a saída com os olhos túmidos;
Foi-se o Eldorado... os risos úmidos,
Afundo, entre lágrimas na procela.

Estou só. Ilusão querida. Oh lírios!
A solidão: Um rio de martírios;
... as águas levaram a noite bela!...

(Machado de Carlos)

Publicado no Recanto das Letras em 31/08/2008
Código do texto: T1155073

22 comentários:

Tânia regina Contreiras disse...

Bom, ainda bem que este só é o último soneto no título, né? rs

E nós aqui vamos querer ler outras dúzias!

Abraços,
Tânia

ღPat.ღ disse...

Triste demais meu querido Poeta!
Senti cada palavrinha sua...
Espero que seja apenas um poema, adoro tua intensidade nas palavras.

Beijos com carinho e respeito.

Wanderley Elian Lima disse...

A sensação de solidão, dói mais que a solidão em si. Belo poema.
Um abraço

Mila disse...

Belo soneto, embora triste...
Bjs
Mila

Úrsula Avner disse...

Lindo soneto meu caro poeta... Um abraço.

Sonhadora disse...

Meu amigo
Um belo momento de poesia.


Estou só. Ilusão querida. Oh lírios!
A solidão: Um rio de martírios;
... as águas levaram a noite bela!...

Adorei

Beijinhos
Sonhadora

"Cantinho Poético" disse...

"Há gente que, em vez de destruir, constrói; em lugar de invejar, presenteia; em vez de envenenar, embeleza; em lugar de dilacerar, reúne e agrega."

( Lya Luft)

Agradeço o seu carinho.....Beijos M@ria

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Um poema clássico de alto nível.Parabéns, amigo. Um abraço

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bonjour mon ami* Pour toi,

perle de pluie

Sou pérola da chuva
Pérola que não se enxuga
Pérola que encontra uma rosa
Numa certa manhã radiosa
Que escorre pelo veludo
Pérola do verdadeiro amor
Pérola do sincero pudor
Que bate em teu coração
Pérola que faz a alegria
Da tua triste vida.

by renata eu e daí

Bisous*****************
para não chorares mais e muito+++++*
Renata
Belo poema!

Sandra Botelho disse...

Nossa. me senti sendo revelada, descrita...
É justamente o que sinto agora...
Posso postar lá no Gotinhas???
lÓgico com os devidos creditos.
Posso, posso, posso???
Bjos achocolatados e esperando meu pedacinho...

Cris disse...

Queria às vezes que não existisse desamor....

REGGINA MOON disse...

Machado,

Grata pela honra de poder compartilhar de seu lindo Soneto em meu Blog...o que encantou a mim e a todos os meus visitantes...

Um grande beijo Poeta....até a proxima!!rs

Reggina Moon

Pérola disse...

Um boa noite amado.
Linda a sua postagem mas tão triste!!!E mesmo assim fascina,parabénssssssssss.
Beijokas.

Caminhos Poéticos disse...

“ O segredo é não correr atrás das borboletas...É cuidar do jardim para que elas venham até você”

(Mário Quintana)


Feliz Noite e beijos meus!M@ria

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oi, querido! Pra vc o poema do Amor!

O poema que o poeta propositadamente escreveu

só para falar de amor,

de amor,

de amor,

de amor,

para repetir muitas vezes amor,

amor,

amor,

amor.

Para que um dia, quando o Cérebro Electrónico

contar as palavras que o poeta escreveu,

tantos que,

tantos se,

tantos lhe,

tantos tu,

tantos ela,

tantos eu,

conclua que a palavra que o poeta mais vezes escreveu

foi amor,

amor,

amor.

Este é o poema do amor.
António Gedeão************
Beijoss

Pérola disse...

Nós merecemos mocinho rs.
Beijokas.

Amor feito Poesia disse...

Prometo ante o silêncio do inverno,
nutrir minhas ilusões fazendo dos nossos "nós" a oração da espera.

(Conceição Bentes)

Beijos & Flores...M@ria

Pérola disse...

Machado,eu acho q perdi o seu último comentário.
Eu li e vim aqui te responder só ñ entendi pq ele ñ entrou.
Eu tenho por hábito responder os amigos pelo imail q é por onde os comentários chegam, também tenho por hábito deletar depois q respondo para q eu possa ter controle de quem eu visitei ou ñ,creio q na ansiedade eu devo ter deletado antes de aceitar pode ter sido isso,me desculpa tá.Um beijo grannnnnnde.

Amor feito Poesia disse...

Prometo ante o silêncio do inverno,
nutrir minhas ilusões fazendo dos nossos "nós" a oração da espera.

(Conceição Bentes)

Beijos & Flores...M@ria

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Claro que sim, vc eu deixo. E pode publicar.
Beijos
Renata

Ana (Ballet de Palavras) disse...

Machado de Castro,
Seus sonetos e, poesias surpreenderam-me pela magica ternura nas palavras que do lado esquerdo do seu peito são reveladas e, impressas.

Li e, reli-o e, escolhi o “Ultimo soneto” pela intensidade expressa.
Sabe?! solidão quando se revela e, se manifesta entendo-a semelhantemente carente. Carente de agasalho e, usualmente é urgente a propensão do seu conhecimento para minimizar ou terminar a solidão instalada no endereço do lado esquerdo do peito. Por vezes quando a “solidão” é compartilhada, se ameniza e, é mais fácil de suportar. Muitas vezes, Machado de Castro solitários ou acompanhados semelhantemente o local minuciosamente sereno é um atenuante à solidão e, consequentemente um exilir ao nosso bem-estar.

Um final de tarde, sereno alojado no lado esquerdo do seu peito.

Ana

Carmem disse...

Ó, coisa linda!
Faz arrepiar a pele.
Faz doer.
Suas palavras parecem nos fazer navegar nesse "rio de martírios" e sentir
suas penas, sua solidão.
Pra que foi exigir amor, meu poeta?!
Amor não se exige...
Há quem diga que se conquista
Mas eu não sei, não...
Se é verdade que:
há que saber cativar um coração,
também verdade é,
ser esta, difícil missão...
Amor é espontâneo,
Vem sem ser chamado
às vezes, vem,
mesmo quando é enxotado!
Mas, certo é
que amor mandado
não é bom de ser amado

Você escreve bonito demais.
Parecem palavras saídas do fundo da alma, explodindo cá pra fora para emocionar a gente.
Voltarei,
Abraço