sábado, agosto 27, 2016

Explosão do Amor


Explosão do Amor

Incontroláveis são pincéis na mão
Rebusquei na aquarela a mesma cor
Mulher do mar; — comandas a visão
A Lua iluminou as asas do condor

Li em teu olhar as delícias da emoção
Embarquei nas Alturas com teu amor
Avancei na melhor vez da canção
Deliciei no perfume; — Rara flor

Ululantes carícias, — luz do lume
Houve lindos sussurros sob o cume
Renascemos nas delícias desse mel

Estávamos nas nuvens, meu viver
Deliramos no lírico prazer
Saciados perambulamos no Céu!

Machado de Carlos

segunda-feira, agosto 22, 2016

Festa em Ipê Branco


Festa em Ipê Branco

Embriago nesta água... Nesta viagem:
Viajo pela Via Láctea, — Ah, radiante!
Vivo do sonho etéreo; — Teu semblante!...
Linda música marca a tua passagem...

Chego ao ápice; — Absorvo tua paisagem
Ao contemplar tua efígie; — Raios brilhantes...
De suave pranto índigo e vibrante
— Náufrago, entrego-te eterna mensagem!

Salve, salve o império do estandarte!...
Apenas sou um número, ínfima arte
Sempre a brindar na taça do Universo!...

Afloro o melhor Éden desta vida!
Em tua lâmpada vejo a Eternidade!...
Canto o Aniversário de mil versos!

Machado de Carlos

quinta-feira, agosto 11, 2016

Rainha do Planeta Azul


Rainha do Planeta Azul

Astro, diante de ti um verso se acende,
Recalcitra o meu mundo cancioneiro...
Longos foram os sonhos domingueiros;
Reencontrei tua ternura neste leme!

Nas páginas douradas e perenes;
— Nossos dias são lembrados! — Vida inteira
nos galhos, nos botões da tua roseira,
vejo sonhos!... (— Borbulhas do amor gemem!...)

Talhei as marcas de giz naquela haste,
canto todos os versos que deixaste...
— Levo-te, Nobre Luz!... (Luz multicor!...)

— Ah, incríveis são filetes; — Raios azuis!...
Ao som do grande índigo do blues;
— Guardo emoções do Maior grito de Gol!...

Machado de Carlos

segunda-feira, agosto 08, 2016

Olhar da Tarde








Olhar da Tarde

Desta janela nasce dócil hino;
— Viajo no palco... — Ah, tuas tranças de prata!
Mergulho nesta cena de cascata;
Única plateia vibra no cassino!...

Nas cortinas e no tinir dos sinos;
Tu danças no roteiro da guitarra...
Ato por ato... A emoção se dilata...
... E vibro no mais alto som Divino!

Entre as fábulas minha face cora
... Tomo tuas partículas da hora!
Pois já tenho tua pele de “vison”!

Alucino na luz dos teus olhos!
Delicio sensações dos nossos corpos;
— Beijo, beijo teus lábios de batom!

Machado de Carlos

quinta-feira, agosto 04, 2016

Raio Sublime

Raio Sublime

Ela habitou o sonho do meu mar
Na quimera havia notas da canção
que noite e dia aliviou o coração.
— Num sorriso do fórum estelar!...

Aos prantos arrisquei leve cantar
Tentei correr… Beijar-lhe… — Ah, doce mão!
Mas contentei em frear minha emoção
… E adormeci com a ária do limiar!...

Respirei versos… mais versos da brisa
Imaginei um beijo onde ela pisa
mudo, respirei ares da ternura!

No relâmpago estava o rumo certo;
— Um dia, seremos Reis deste Universo
Viajaremos nas asas da loucura!...

Machado De Carlos

terça-feira, agosto 02, 2016

Tempo de Amor


Tempo de Amor

Havia luzes nas noites da alegria,
registrando, então, uma nova sorte...
Seguimos, juntos, para o rumo norte ...
e mergulhamos no mar da poesia...

Escrevemos aquela sinfonia; —
nas notas; marcas de sangue do corte...
Aflito, senti a lança; — Triste sorte!...
Debalde, tento entender a agonia...

Busquei o encontro da chave do tesouro,
ao mergulhar naqueles trilhos de ouro...
Inda ouço a voz: — Ah, nunca, nunca mais!...

Mas a maré revive: — Vai, vai e vem,
golpeia perspicaz, e, parte pro além:
— As experiências ficam nos portais!...

Machado de Carlos

segunda-feira, agosto 01, 2016

Um Dia Violeta!


Um Dia Violeta!

— Divina! — Luz e vida da poesia, 
— ergue-se um braço nas noites serenas! 
Zombaram de nós no revés do poema, 
— ondas viajaram! — Mar da sintonia!...

Imóvel ao nascer do novo dia, 
tenho Paz ao deslize desta pena!... 
Oferto uma rosa à tua vida plena; 
— Divina! — foi criação da tua alegria!...

Encontrei-te nas flores de um agosto; 
as pétalas curvaram-se ao teu rosto, 
grandes; — hoje, são as noites cristalinas.

O Supremo se anima na canção; 
somos, na íntegra, um só coração... 
Tenho o teu afeto; — Oh, Doce Menina!...

Machado de Carlos

sexta-feira, julho 29, 2016

Sabe Amor,


Sabe Amor,

A Sírius acalanta lá no espaço!...
...teu verbo chega ao meu coração!
Doce teu riso na luz do terraço...
... que me leva às trilhas da amplidão.

Sabe, o nosso amor, feito dum aço,
Leva versos à senda da ascensão,
Posso tocar teu rosto, traço a traço,
Ah, ouvindo tua voz como canção!...

E tu vens, beija-me antes de dormir
E vejo teu raio sempre a me sorrir!...
Há uma energia que toca o meu peito.

Fico com teus marfins noite afora,
Ao ler tua poesia, minha face cora.
— Voltas, pelas manhãs!... — Ah, voz perfeita!...

Machado de Carlos

quinta-feira, julho 28, 2016

O Bailar da Noite



O Bailar da Noite

Ela chegou com risos de prata, 
pude sentir o brilho do anel! 
Caíam gotas serenas em seu véu!...
... E cantarolei bela serenata.

Absorvi o perfume que retrata, 
e beijei belos lábios de mel!... 
O néctar de prazer subiu ao Céu...
— Ah, taça de licor em cascata!...

Um Universo foi criado pra nós, 
ao degustar o timbre: — Linda voz!
— Sonhei feliz ouvindo belo canto!

Na alegria do som; — raro marfim,
senti uma chuva; — cores sobre mim;
dormi ao relento com seu manto!...

Machado de Carlos

quarta-feira, julho 27, 2016

Tesouro da Vida


Tesouro da Vida

Nossos corpos flutuam como canção...
Navego em tua alma, luz que me revive,
e enfrento os calafrios, — ínfimas crises
que mantém fortes vínculos da união.

Ó, maviosa, meu ser, dê-me tua mão;
Sonho com todos os versos que não tive...
Bebo tua voz de amor... Sei o que me dizes!
Moram em ti veias dum grande coração!...

Inda tenho horas... Juras... Corpos... Mel...
Viajamos na nave, e, no mesmo céu...
... com voz rouca; — Prazeres sem medida!

Vivo... Belos momentos, ah, menina!
Todos os dias, tu és rosa, luz divina;
— O resumo de tudo meu na vida!...

Machado De Carlos


terça-feira, julho 26, 2016

Não Chores



Não Chores

Quando passamos pela noite fria,
E o gelo cai sobre a nossa morada;
Precisamos vicejar a alvorada,
No entanto a dor ainda nos alicia...

Amor, esqueça a passagem sombria;
Deste mundo não levaremos nada!
Olvida àquela hora mal amada.
— Tu és forte p’ra vencer a ventania!

Quando o coração estiver palpitando;
Contempla uma rosa feliz se abrindo,
E, lento, o perfume se revelando...

Verás o lado da vida, que é lindo!
Esquecerás o passado, — Cantando!
Seguirás o teu caminho, — Sorrindo!...

Machado de Carlos

segunda-feira, julho 25, 2016

Flores da Aurora


Flores da Aurora

Olhei pro jardim; — Ah, rosa Divina!
Nunca mais, — Esqueço da tua nobre canção.
(...sinto o badalar do teu coração,
e, as flores vieram ao nosso clima!)

Meus sonhos, minha linda menina;
ao tremular nas notas do som,
refleti numa encantada união...
Inexplicável, tua luz cristalina!...

Na tua luz; — Soberana Estrela,
ouço... de todos os cantos... o mais belo!
Imortal será o teu olhar para mim!

Rompemos as barreiras; — Fiquei assim!...
Ah!... Tua cor mel, um jambo, — Meus versos...
Meus dias serão teus!... Ternos do Universo!

Machado de Carlos

quarta-feira, julho 20, 2016

Apenas Um Soneto


Apenas Um Soneto

Não sou o nobre de nome Ventania,
Para enriquecer teu momento inquieto.
Não há brilho de pepitas em meu teto,
Nem força a aquecer tua hora sombria.

Engano! Sou plebeu. A verdade fria!...
Pensavas que eu fosse o esguio discreto.
Não tenho ouro. Meu cofre é meu afeto;
Não te darei um “Cadillac” de alegria!

Meu coração chora sem o teu abrigo;
Meu coração em festa sonha contigo.
Minh’alma lamenta!... Um grito profundo!...

O tempo me corrói rumo ao descanso
Urge viver. Chegará o remanso...
Tua marca-d’água está no meu mundo!

Machado de Carlos

segunda-feira, julho 18, 2016

Eu Te Amo, Sempre!


Eu Te Amo, Sempre!

Escuta alma querida e boa:
Um anjo cobriu as marés...
... Todos os dias vela a canção.

— Estou, amor, abaixo dos teus pés.
Amanhã, em festa da união
Marcaremos fontes celestes...

— Ouço tua voz com perfeição!...

Machado De Carlos



sábado, julho 16, 2016

Caminhei...



Caminhei...

Na dura chegada ao monte aprazível,
Do alto pude lamber miga do pão.
Na abertura dum sonho indescritível...
Comi do grude da palma da mão.

A gaivota chegou toda invisível...
Vênus marcou pretensa, ó, união!
Nas ondas, ao cais; da pele sensível
Corria sangue dos hiatos da canção.

Nas leiras dos quintais, gudes pueris,
lambia o cerol das pipas juvenis;
— A noite chegou ao correio teatral!

Vivemos ainda de ínfimas lembranças;
Caminhos eternizam as distâncias...
Num fim marcado, há frases no mural...

Machado de Carlos


A Manga


A Manga

Cobria luz solar com cândido véu;
A menina escalou a mangueira,
tinha pernas macias! Lindas! Trigueiras!...
— Era uma flor do campo do meu céu!...

Pedi-lhe belo fruto; — sabor mel...
... e ela sorriu com cheiro da roseira,
Tirei o canivete da algibeira
E ganhei o fruto — “de vez”; — doce pincel!...

A polpa estava verde, quase crua...
Lambuzei até a casca inda nua, e
Cresceram ares na atmosfera!...

Na face abriram-se marfins risonhos!...
Reconheci a jovem feliz que sonha
na flora de encantos d´outra era!...

Machado De Carlos

quinta-feira, julho 14, 2016

Folhas Esparsas

Folhas Esparsas

— Sinto: — tua aura nesta geografia,
Vi na moldura uma ribalta!...
Amei em cada letra, tua alma;
tenho páginas, frutos da magia!

Na tua voz rica há muitas sintonias,
cada vocábulo é de esmeralda;
Nas letras o coração se acalma;
o perfume levou noites vazias...

Do Céu astros pululam na varanda
procuro as estrelas que emanam!...
... e todo firmamento sei de cor...

Mergulho em pensamentos profundos...
Penso...Penso: - Ah, como estará o mundo
da minha alma gêmea, meu grande amor?...

Machado de Carlos



Simples


Simples

Caminhei... A maré salientava o teu canto.
Reencontrei o meu amor. Voltei ao tempo, à raiz!
- Incrível a tua flor! A tua boca de anis!
Sorvi teu beijo tépido qual ouro santo.

Tremi no teu balé! Tive a luz do recanto
Inspirei-me na cor. Resumi o teu matiz!
Amo-te com ardor. Gravo um verso feliz!
Nobres são teus pés. Tenho teu rosto de encanto!

...! e os astros do Céu?! A Lua iluminou meu anjo lindo,
com sua timidez nua nos abraça sorrindo!...
Os raios quase nus tocam tua veste – um sal!

Urge bela união. É o teu poema no cio...
Tenho teu coração e o amplexo no rio...
O momento é de luz. Tua alma é o meu fanal!...

Machado de Carlos


quarta-feira, julho 13, 2016

Dança



Dança

As sapatilhas chegaram ao sábado!...
Sorvi nosso sarau... Versos de sábios!...
Na música secular e de sândalos
ouvi na selva de sedas sensíveis!...

Vi teu semblante e, seios de sedução;
na suíte sem fim teu pé saltígrado
buscou a saída; uma sensação
Secular, — a seara do sacerdócio!...

Teus cabelos sedosos e sinfônicos,
buscaram a paz do meu silêncio;
...E as sílabas dançaram na suíte!

No sótão tocava a sinfonia; súplica
da silhueta na mesma seqüência,
da sonata suave: — para este súdito!

Machado de Carlos

terça-feira, julho 12, 2016

Menina de Flores Brancas

Menina de Flores Brancas

Tenho tua madrugada; - Tu és meu luar!...
Arrasto teu sorriso aonde eu for;
... e a chuva cai com lágrimas de amor...
Na aurora, tu estás no teto solar!...

... no bosque, a sinfonia é teu cantar,
Sinto-me forte com tua rósea flor...
Fico com tua carícia multicor;
... ao adormecer vivo pra te amar!

Ouço tua voz divina ao som de "blues",
Amanhece e, estás neste Céu azul...
...lembra passos marcados noutra era!...

Ah, canto da inebriante pele nua,
atrás do monte está imagem tua...
Linda silhueta me leva à esfera!...

Machado de Carlos

segunda-feira, julho 11, 2016

Acordes da Noite



Acordes da Noite


Ontem registrei senha do meu escrínio...
Tive belos momentos dos teus ais,
Em todas as cadências do fascínio;
— Semeei... Semeei sementes nos portais...

Aquém do luar da face do menino,
e do vaivém pedindo sempre mais:
Houve marcas da pena;  — Oh! — Divina!...
... E a voz vivenciou notas imortais:

Abarcamos mil sonhos nessa viagem!...
Sentimos os prazeres; — mais além...
... E aspiramos perfumes do jardim!

Degustamos partículas do som;
a alvorada foi nossa na amplidão...
— Caímos no universo até o fim!...

Machado de Carlos

Partículas de um Amor



Partículas de Um Amor


Ela chegou com sua lógica e magia
os pássaros alvoroçavam o álamo
então as flores disseram à récita;
- Oh, “Butterfly”, tu és incrível ícone!

...Cantaram, numa só voz a grande ária
e a silhueta veio; Ah, com toda graça
Começou a vida marcada na rósea.
... e os versos ritmaram; - Voz elétrica!

Beberam a canção; -Soma da glória
Inéditas gotículas do oásis
- Ah, ternuras das ondas do meu rádio!

Distante morava o amor duma ilha
feliz viajando ao mundo azul da órbita
- Canta verso; - O teu translúcido amor!

​Machado de Carlos

sábado, julho 09, 2016

Nos Bastidores das Almas

Nos Bastidores das Almas

Naquele muro estava uma rima, 
antes eu me sentia tal qual um vintém 
e, numa senda, só, sem alguém
Via no clarão a pele: — Obra prima!...

Na jornada, com frases sublimes, 
um lampadário me levou ao além 
com ar puro: — Esperança de alguém 
encarcerado na carne e sem clima.

... No passado, ah, tua esfinge na tela! 
Quisera tua face, (A mais bela!) 
cativaste meu rosto, Soberana!

Urge um tempo: — um Mundo de Paz. 
Na mente está teu semblante lilás:
— Amo-te, eternamente, Veneranda!

Machado de Carlos

quarta-feira, maio 04, 2016

Vestígios do Amor


Vestígios do Amor

Há mil luzes no tom desta luneta!
— Incrível explosão!... — Muito feliz!...
Revigorei-me em tua pele... — Na raiz!
— Amei as asas desta borboleta...

Levo o sonho ao redor deste Planeta...
Retrata na parede a cor do giz
Soam os encantos do sabor de anis
No espaço de puríssima violeta!

Caminhei com as tuas garras felinas,
Ilícitos momentos de emoção:
— Incontrolável tua dança, Menina!

— Ouvi, sem cessar, teu canto voraz;
Enlouquecemos na mesma canção,
Morremos no prazer mero e fugaz!

Machado de Carlos

quinta-feira, abril 14, 2016

Mulher Madura



Mulher Madura



Há mil décadas ouço a tua canção!... 
Muitas vezes os raios do belo luar
se refletem nas águas do teu mar,
e, filmam os segredos da paixão!...

Tenho as luzes sublimes das tuas mãos...
Leve, flutuo no espaço milenar; 
neste sonho, começo a navegar 
em tua eterna pureza de verão!

Sinto e vivo o teu aroma matinal,
beijo a tua latejante flor charmosa:
e concluo a grandeza do fanal!

Imitarei tua voz como um cantor...
Sem o teu som sou a criança que vai embora
— Ah, letras! — São vocábulos de Amor!


Machado de Carlos