quinta-feira, dezembro 22, 2011

À Flor da Alma

À Flor da Alma


... E ela chegou com névoas de magia
Num carrossel de rosas... Leve aragem!...
Sorriu!... Feliz naquela carruagem
E selou o final desta agonia!

Ah, centelha de luz, minha alegria!...
Tenho em meus dias sua bela imagem.
- Ó beira-mar, mudaste esta paisagem,
E ela cantou com voz da alquimia!

Na cordilheira... Um canto... Um Pássaro
Festeja sua presença muito rara...
Ouço, sem cessar!... Como é lindo o Som!...

Ela é dona do imenso paraíso;
Meus olhos vibram naquele sorriso,
Guardo na face o beijo de batom!...


Ribeirão Preto, 20 de dezembro de 2011
16h45

sábado, dezembro 10, 2011

Eterno Amor


Eterno Amor


Minha mente explodiu no imenso mar...
Muitas vezes... Procurei-te neste sal;
Lembro-me: - Encontrei-te, ó vendaval,
carícias mil me levaram a chorar!


Curto letras na noite a enamorar;
- Tu és meu grande amor no mundo Maior!
Tenho beijos de Sol, divina cor,
ouço celulares - grande cantar!


Temos a força do fino prazer;
sou teu, amor meu; imo do meu ser,
vivemos numa hora juvenil!


Afaguei, sem cessar teu coração,
e, vi no passado nossa união.
- Finalmente sorrimos; pele pueril!


Machado de Carlos

Praia Grande, 27 de novembro de 2011
3h39

segunda-feira, novembro 28, 2011

Ausência


Ausência

Saudade de ti, ó meu bem querer!
A Lua não é Lua, meu pingo de gente!
Há loucuras no apogeu do relento:
- Noite, cidade vaga a fenecer!...

Ah, voz do poeta ao entardecer!...
As pegadas se apagam, silentes...
E a secura do óleo sai da mente;
a soma voltará ao anoitecer!...

Tudo perde sentido sem tua flor,
não esquecerei frases de amor,
na torre com tua luz colorida!

Ah, menina, não mostras tua noite,
mas sinais da garoa não tem açoites;
... e o sorriso esmaece nesta vida!

Machado de Carlos

São Paulo, 26 de novembro de 2011
2h18

quinta-feira, novembro 17, 2011


O Poeta e a Flor


Certa vez um sonhador tresloucado
Enamorou-se da morena bela,
Delirava com o rosto dela!...
Não havia alguém mais apaixonado!


A vida intimou a menina encantada,
Que fora enfeitiçada pelo poeta;
ele escrevia...escrevia... somente pra ela
- palavras e palavras ousadas.


Assim como as marcas do prazer nobre
A grande paixão ficou no cofre:
São registros da história de amor!...


... contempla, em silêncio, as fotografias,
e sai da solidão do seu dia-a-dia,
e espera estar ao lado do seu amor!...


Machado de Carlos

terça-feira, novembro 15, 2011

Eu Te Amo, Meu Amor!




Eu te Amo, Meu Amor!



Exagerado!... Sigo o coração...
Único coro onde há tua nudez,
Tenho todo tom na cor da tua tez,
E o prazer inflama num vulcão!



Ah, noite! Absorvemos os desejos...
Meu Amor, canto sobre nossas mãos;
- Oh, prelúdio!... Oh, clima de emoção
O beijo mora na última vez!...



Minha incalculável Cinderela;
- Aos meus pincéis, no alto da tela
Escoro oceanos sob olhos serenos...



Tenho letras oníricas de Amor
Um tom suave, afasia bela da cor;
- Em todo norte inda brilha o Aceno!...


Machado de Carlos



sexta-feira, novembro 11, 2011

Folhas Esparsas



Sinto: - tua aura nesta geografia,
Vi na moldura uma ribalta!...
Amei em cada letra, tua alma;
tenho páginas, frutos da magia!


Na tua voz rica há muitas sintonias,
cada vocábulo é de esmeralda;
Nas letras o coração se acalma;
o perfume levou noites vazias...

Do Céu astros pululam na varanda
procuro as estrelas que emanam!...
... e todo firmamento sei de cor...


Mergulho em pensamentos profundos...
Penso...Penso: - Ah, como estará o mundo
da minha alma gêmea, meu grande amor?...

Machado de Carlos

domingo, outubro 30, 2011

Ela Dorme




Ela Dorme...


Depois de tanta etapa dolorida;
Ela dorme, e anseia nossa união!
Eu sei da sua intensa solidão,
... como um belo Anjo, sai da lida!


Nas linhas do destino da sua vida,
Sinto; - a toda hora a leve mão,
- Tento decifrar letras da canção,
E em cada sinal, só ela: - A querida!


Ela emplaca os meus grandes sonhos,
Então a vejo: (versos que componho)
- Ela já está comigo. Sou seu Rei!


... E ela vem. Fica; todos os dias...
- Ela caminha com minha alegria,
- Ah! - Ela conta mil passos. Já sei!...

Machado de Carlos

segunda-feira, outubro 17, 2011



Menina Mar



Ela; - a dona da água – a me alucinar
com belos olhos, e garras felinas!
Movi vida e luz para remar
com seu gesto faceiro que ilumina!



Ela canta. Tem a voz. Vem do mar...
Chega... Dança com sua pele linda,
saiu das ondas somente pra me amar!
Oh!... Como beijo seu corpo de menina!



Tenho no diário; - rosto puro bronze;
... Caia noite com vultos no horizonte...
Inda ouço gemidos: - (é seu sal!...)



Tenho meia-luz com raios daquela Lua,
Nesta penumbra curto: - Sombra nua:
- Grito!... Grande prazer!...Um carnaval!...



Machado de Carlos

sexta-feira, outubro 14, 2011

Soneto da Tua Voz




Soneto da Tua Voz




Ouvindo som que tua voz irradia,
Agradeço aos teus verbos singelos
Parece q
e ouço a linda sinfonia:
De todas as orquestras a mais bela!



Viajo no arranjo desta harmonia!...
Parece q´estou diante de uma tela,
Cheia de luzes, cores... — Uma alegria!...
Um quadro pintado na primavera!


De todas as belezas... — És a fonte!
Tua luz brilha até o fim do horizonte;
Vibra do ocaso ao início d´alvorada.



Fico pensativo!... Um olhar profundo!...
Indagando as questões deste mundo:
— Por que as distâncias!?...E as moradas!?...


Machado de Carlos


quinta-feira, outubro 13, 2011

Minha Síntese


Minha Síntese



Sigo passos de flores no caminho,
onde castiçais brilham nossos corpos.
Nas têmporas: - Oh!... Como torvelinhos
inflamam energias, cantam os poros!



Absorvemos os cálices do vinho
sobre multicores asas da glória!
O clima de amor neste cantinho;
- nos ares sobrevoam aos altos portos!...



Incalculável mundo do prazer!...
Ah!... São primaveris os  sonhos meus,
sob êxtases; - ouço teu belo cantar!



Oníricos são os versos do teu suor;
na afasia com desenhos só de amor
inda carrego tua imagem ao luar!...


Machado de Carlos





quarta-feira, outubro 12, 2011

À Musa, Minha Vida


À Musa, Minha Vida


A noite chega com breu e silêncio...
Componho versos para minha Ode,
Viajo pelas montanhas sobre névoas!
Beijo e beijo lábios do idílio...
Com sede caio nas ondas da água!...


Água, água matar-me-às minha sede?
Idílio: - Tens proibido os meus beijos!
Névoas apagaram: - uma viajem!
Odes foram e voltaram à estação...
Silêncio! É hora de dormir; - Ó noite!





À Musa II


... e ela segue com seu balé...
Fez-se luz na grande ribalta,
com vestes quentes e alvas;


Curvo-me perante esta dádiva;
- Sou eco, do Éden!... Oh, mundo ébrio;
Tomo os licores; - com requinte!


Machado de Carlos

quarta-feira, setembro 28, 2011

Senda



Senda



Ouça a sinfonia do amor... e viva!
Como uma rosa, no horizonte, - Ame!
- Vi a luz no teu perfume, minha Diva!
A sublime Paz é tua chama.


A água do ribeirão precisa
do teu coração puro! Então brame
aos deuses do Olimpo, minha querida!
... e no jardim, colha a flor, - e Clame!


Anjo, tu tens o anel que perdoa;
no horizonte sublime a ave Voa...
buscarás o seu perfume, profundo!


Oh! Tua sinfonia!... Jamais esqueço!
Na tua pureza sempre permaneço!
- Encontro a Paz para encarar o mundo!...


Machado de Carlos.

sexta-feira, setembro 16, 2011

A Galáxia é Nossa


A Galáxia é Nossa



... É um sonho! Há jardim! Estamos
Vivendo numa nave magistral!
É um sonho etéreo e perenal;
Todos os dias canto porque te amo!


Nossas horas são festas! Blindamos
A poção do nosso amor maior e real;
Os cálices grafam: - És imortal!
Não vemos a contagem dos anos...

Na relva úmida tu és a flor;
No tapete verde está nosso amor
Que canto!... Canto no teor dos meus versos!


A nossa vida, agora, é loucura!
Morro nos teus braços de ternura!
... e a nave segue pelo Universo!...


Machado de Carlos

sexta-feira, setembro 02, 2011

Segredos



Segredos

Havia pouca luz naqueles castiçais; -
Queria uma silhueta na rua escura!
E sentir aventais, inverno rude,
Neste silêncio, - Ela nunca mais!...


O amor está nas uvas normais;
Com canetas e marcas amiúdes
Escrevo as letras das atitudes.
Sinalizam as têmporas cruciais!...


Ah!... Minha fantasia perdeu sua cor!
Não toco mais naquela bela flor,
... e viajo nas boas notas da canção!


Meus olhares perdem-se no espelho;
- Onde estará o teu lábio vermelho?
- No espaço com raio; Legítimos néons?!


Machado de Carlos

sexta-feira, agosto 26, 2011

Almas que Voltam


Almas que Voltam


- I -


Vi o pranto daquela passagem,
houve adeuses duma vida d´anil.
Na estação ficou marca... Era febril...
E o trem enviou sua mensagem!


- II - 


... E ela voltou mais rica da viagem,
beijou-me, suavemente e, sorriu;
(O sorriso do tempo nos uniu)
temos na carne outra linhagem...


- III -


No leito focalizo teu jardim!
Tenho teu corpo; único pra mim...
E no azul do Céu riscam fogos!...


- IV - 


Tenho tua letra da ceifa d´amor,
temos o mesmo corpo - uma flor!
Canto versos ao tempo; - só nossos!...




Machado de Carlos

sexta-feira, agosto 19, 2011

Noite Longa





Por que me deixaste nesta sina?
Ai, relógio! — Tu morres nas tuas horas?!
O telefone calou-se... Não chora!
Esta triste espera envelhece, ensina...


O tempo retarda o raiar da aurora;
Meus pensamentos perdem-se em ruínas,
Não esqueço... Vejo tu’alma cristalina,
A despedir-se a qualquer hora...


Terás comigo nesta noite fria?
... difícil será a chegada do dia!
Tolero as provas em pleno léu.


Tudo caiu e ruiu neste vendaval!...
Ainda não entendo o porquê deste mal;
Amor, - preciso de ti e do teu céu!...


Machado de Carlos

sábado, agosto 13, 2011

Viagem ao Céu





Horas... Horas... Ah... Mar todo torrente;
Fomos ao calabouço rosicler!...
A estrela salutar tomou a mente;
... Bebi todo perfume de mulher!



Amo-te minha Flor: - um mar silente,
Numa paz, neste mundo bem Melhor!
- Vem. Vê: - Meu coração pousadamente,
Não pára neste espaço bem Maior!



Assim te vejo; Oh! Nobre menina!
Mesmo perdido nesta neblina,
Sigo as regras: - Tudo está escrito...



Tenho tua alma; - Quilate, puro ouro...
Mergulho em teu corpo – um tesouro!
Descanso neste Mar, meu infinito!...




Machado de Carlos

domingo, agosto 07, 2011

O Milagre da Rosa





Eu estava só neste mundo turvo
Somente a gaivota do cais
levemente tocava os meus ais
... E chegaste de azul, - cetim de luxo!



Aticei teu alvéolo, e o sussurro
era a amostra dum amor de ás!
No ímpeto senti a deusa voraz:
- Eternizou-se uma forma de uivo!...



Sim, neste jardim, Rainha das Rosas,
Ando sobre as águas maviosas;
- Na passagem já estava escrito!...



Este presente é a alegria de ser
Os dias fenecerão no teu prazer;
- Tu és sonho?! - Tu és o Infinito?!




Machado de Carlos



sábado, julho 30, 2011

O Bailar da Noite



Ela chegou com risos de prata,
pude sentir o brilho do anel!
Caíam gotas serenas em seu véu!...
... E cantarolei bela serenata.


Absorvi o perfume que retrata,
e beijei belos lábios de mel!...
O néctar de prazer subiu ao Céu...
- Ah, taça de licor em cascata!...


Um Universo foi criado pra nós, 
ao degustar o timbre: - Linda voz!
- Sonhei feliz ouvindo belo canto!


Na alegria do som; - raro marfim,
senti uma chuva; - cores sobre mim;
dormi ao relento com seu manto!...


Machado de Carlos

domingo, julho 24, 2011

Frutos do Amor Maior



Frutos do Amor Maior



Alma querida; esqueça as cicatrizes,
Os momentos tristes de lágrimas...
— Vamos, pare com lembranças de mágoas...
Nós, errantes, passamos por deslizes.



Aprendamos, sem parar, com as falhas.
— Olha, tens muito amor no que dizes!
— Então, poderemos ser felizes?
Venceremos as sombras da muralha.



No teu nobre coração há uma chama...
Sei que do teu espírito puro irmana
Uma luz que ilumina a minha mente.



Sigo o exemplo radiante dos teus frutos,
Tua presença clareia os meus minutos...
— A vida tem mais cor, astro cadente!


Machado de Carlos

domingo, julho 17, 2011

Saudade



Saudade



Ouvi sabiá, o teu canto e teu feitiço;
Que luz divina eu vi na tua vogal!
Tua voz se fez brilhar no meu portal;
Fui escravo de tuas asas, meu espírito.



Fiz de tuas palavras o meu vício,
Mudaste este mundo desigual;
— Dos deuses, - Serias o meu sinal?
Só sei que saí do negro precipício!



Tuas marcas ficaram quando partiste;
As sombras voltaram... E a hora é triste!...
— Cadê a ave que em minhas mãos pousou?



Hoje, o meu alimento é a lembrança;
Foram-se: — a alegria e a esperança...
... E o meu pássaro encantado voou!... Voou...




Machado de Carlos