quarta-feira, maio 19, 2010

Voltei, esqueci...


O túnel é a antítese da história
Troquei o tempo, hirto, sem marcas...
Tomei a taça de anisete, - teu tudo.
Toquei a antologia; um antúrio, uma estrela...

Por um triz a tília tremeu, triste!
À tarde, ao horizonte, chorei o mito,
Lá estava o vestido hirto e esterno...
Beijei tua marca, teu tudo, a história...

Neste túnel está o nosso pretérito
Tenho a cicatriz e tua veste antológica,
mas o destino nos tolheu por um triz.

Tarde!... Fim do túnel. No horizonte
tomei a taça; letras da antologia!
Tens tudo, tu és o mito do tempo!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1154427

22 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

O que eu faço com você, me diz? Voltei e esqueci.
Lindo!
Beijossssssss imensossssssssssss
Renata

Sonhadora disse...

Lindo poema, como todos.


Por um triz a tília tremeu, triste!
À tarde, ao horizonte, chorei o mito,
Lá estava o vestido hirto e esterno...
Beijei tua marca, teu tudo, a história...

Maravilhoso

Beijinhos
Sonhadora

Caminhos Poéticos disse...

O túnel é a antítese da história
Troquei o tempo, hirto, sem marcas...
Tomei a taça de anisete, - teu tudo.
Toquei a antologia; um antúrio, uma estrela...


Simplesmente lindooooooooooo*******
Beijos do meu p/ o seu coração!!

Efigênia Coutinho disse...

"Voltei, esqueci..."

Lindo sentir...
Você ja amou muito, ou ama?
O amor nunca morre...fica eterno,
quando foi terno!

PARABÉNS!!! É SEU ANIVERSÁRIO!!!
Eu vou gritar bem alto para todo mundo escutar, e fazer bastante festa, comemorar a vida em vida!
Com afeto,
Efigênia Coutinho
(saudosamente )

"Cantinho Poético" disse...

Quando fala o amor, a voz de todos os deuses deixa o céu embriagado de harmonia.

William Shakespeare

Amor & Paz na sua noite...Beijos! M@ria

Sandra Botelho disse...

Tão bom mergulhar em suas palavras...E devorar seus versos.
Bjos achocolatados

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Voltei. Não esqueci. Só tive de re.publicar o teu lindo poema no Eu e Daí, porque não consigo moderar os comments.
Beijos pra ti.

Luciana disse...

Olá Machado

Uma ótima noite pra ti

Texto muito bonito

Bjs, Lu

Amor feito Poesia disse...

Renova-te.
Renasce em ti mesmo.
Multiplica os teus olhos, para verem mais.
Multiplica-se os teus braços para semeares tudo.
Destrói os olhos que tiverem visto.
Cria outros, para as visões novas.
Destrói os braços que tiverem semeado,
Para se esquecerem de colher.
Sê sempre o mesmo.
Sempre outro. Mas sempre alto.
Sempre longe.
E dentro de tudo.

Cecília Meireles

Beijos poéticos e perfumados neste final de noite! M@ria

Vozes de Minha Alma disse...

Bom dia meu digníssimo amigo!
É com satisfação que o recebo, e aqui venho.
Ao ler teus sonetos, lembro de um amigo, que se tu o lesse, verias uma certa semelhança com Augusto dos Anjos. Já o convidei a criar um blog, mas o mesmo reluta.
E digo o mesmo de ti, que em minha humilde opinião, é um agraciado com o refinamento literário. Meu abraço, e até breve.

Tânia regina Contreiras disse...

Há muita delicadeza por aqui. Beleza, cuidados...Parabéns!

Abraços,
Tânia

Vozes de Minha Alma disse...

Meu amigo, lindo o teu soneto Surreal I
Eu sou mais voltado para o estilo do João da Cruz e Sousa.
Escrevo de tudo um pouco, gosto do simbolismo.
Um destes escrevi quando do falecimento de uma pessoa próxima a mim.

Anfitriã Eterna

À espreita, a morte conosco vaga...
Desceremos junto ao sombrio leito...
Até findar-se a aventura amarga,
No infortúnio, porém refeito.

Pra enfeitá-la, as flores serão estampa...
Que o pranto verte amor por alguém,
Vestido em terra que agora acampa,
Em uma prece, findando Amém...

Manto escuro do além profundo,
Abrigo taciturno, da sublime paz;
Dos efêmeros sonhos trouxe a sorte...

Invólucro humano despe do mundo,
-Eis que agora e pra sempre jaz;
Em baixar ao leito a soturna morte...

Um abraço.

*lua* disse...

Teu poema sim é um túnel de história, sensação, amor e viagem só de ida.

beijos mil

garoto cientista disse...

gostei de seus textos, posui um geito original diferente, parabés. Gostei de seus blogs e tomai aliberdade de adcion-los. Abraços

Wanderley Elian Lima disse...

O mito é resistente ao tempo, por mais distante que essa possa estar.
Um abraço

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Não por isso, querido, mas por muito ++++++++++++++


*Somos poesia
Que fala de amor
Que fala de paz
Somos poesia
Harmonia
Música em forma de poesia
Somos Poesia
Terra Céu
Liberdade
Mar Amizade
Vales Esperança
Amor Vida
Montes Paz
Ar Livro
Sexo Canção
Coração Alma
Sonho Realização
Somos Poesia
Que germina
Que faz o homem chorar
Que faz o amor exaltar
Somos Poesia
Que grita e clama pela paixão
Que chora e reclama pela saudade
Que mostra honestidade num simples verso
Trazendo simplicidade lágrima sorriso
Alegria sem barreiras
Preconceitos fronteiras
Num pedaço de papel amarelado
Na tela
Num livro dourado
E aqui somos
Porque de poesia fé amor paz y luz somos

by Renata M. P. Cordeiro*

Bons Dias sempre**************
Beijos*
Renata

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Voltei - quer dizer não saí - porque não sabia que fazia aniversário. Muito honrada em conhecê-lo e dois poemas seus neste dia. Parabéns!!! *Vida* é um poema magnífico. E todos os que pude ler.
Não sei se reparou no eu e daí, os
*Blogs porque sim*.
Kisses*
Vou com as aves

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Sabe quantas primaveras tenho eu? 47! Ai de quem me falar que estou perto do Inverno!!! Tampouco o meu amigo está. E sou Timão as you, handsome*****
Mais um beijo querido?

*Mais um beijo, querida,
Mais um olhar
Só isso, querida,
É até mais ver
Para o nosso amor é tamanho pesar
E tamanho prazer
Que irei mantê-lo qual tesouro até morrer

Então, por ora, querida,
Até mais ver, minha linda,
Mas te juro que não é adeus,
Pois com o tempo podemos ter uma gloriosa
A nossa gloriosa história de amor para contar

Assim como a cada outono
As folhas caem das árvores,
Tombam no chão e morrem,
E na primavera
Como doces memórias
Retornam, eu retornarei

Como o sol, querida,
Sobe alto
Nós voltaremos, querida,
Para o céu
E baniremos a dor e o lamento
Até amanhã,
Até mais ver.

Vangelis.
Trad. da Renata.


Até+++++++

Felina Mulher disse...

Lindo o poema.
Não te sinto um fingidor, Machado.
Ao contrário, sinto-te perdido na intensidade do que sentes e a sentir muitas e extraordinárias coisas ao mesmo tempo.


Um beijo e um sorriso.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Oi, meu querido. Eu não te esqueci. É que exatamente na hora em que puseste o recado, o bloguito foi liberado. Ai! Liberdade****** Beijossssssssssssssssssss Carlos*****

PENÉLOPE

@ by Renata M. P. Cordeiro

Ela só dá ponto sem nó
Tece minutos, tece horas
Tece anos, tece amor
Amor tecido – ter sido
Amortecida toda ela
A morte em vida
À espera...

Os deuses fazem e desfazem
Os heróis luzem grandes feitos
E das mulheres o que foi feito?

Um ponto de lágrima
Um ponto de cruz
Um ponto de esperança
Penélope não se cansa
Gira a roda e se enrosca
Nas malhas do destino...
A felicidade por um fio?

Desmancha de noite
O trabalho do dia
Pálida presença na Odisséia...
Não mereceriam
As mil provas de agonia
Em vez de cantos ao recato
O reverso do verso
De uma Penelopéia?

Até mais+++++********
Renata em versão Penélope.

Valéria Sorohan disse...

Padecer de amor. Muitos dizem que não há morte sem tê-lo sentido, e muito menos vida ..( ou algo mais ou menos assim..risos )

BeijooO'

M@ria disse...

...Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

Clarice Lispector

Bom Fds ... Beijos poéticos! M@ria