quarta-feira, novembro 19, 2008

Um comentário:

Olhos de Mel disse...

Doce poeta! Adorável soneto!Que esse cisne leve toda ternura e todo amor que fizeste por merecer.
Fico feliz quando percebo luz em tua alma.
Beijos