sexta-feira, janeiro 19, 2007

Alma
Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=177



Somente tu, nobre alma, acalma com teu manto este pobre;
Ainda sob o estigma da vida em pedaços,
Com tua inefável luz, oriunda do espaço,
Sustentáculo de carinho... Forte braço!
Encobre-me por inteiro... Gesto faceiro!... Como és nobre!...

Li no teu olhar. Fiz-me brilhar. Deste-me inspiração...
Alma boa, como tua palavra me esclarece!
Guardo no peito o néctar que me ofereces,
Agradeço-te de corpo e alma... Uma prece!
Soa a voz de tua ternura... Esta ventura... Ah! Coração!

Imagino a aurora, minh’alma chora por tê-la,
Ouço os acordes, acalmam m’dores,
Louvo tua presença!... Ofereço-te flores!
Encontro à razão. Atinjo os esplendores!...
... Teus carinhos afagam meus caminhos, minha estrela.

Ribeirão Preto, 07 de março de 2001.
11h00

2 comentários:

A MUDANCA disse...

E que nobre a tua alma, finissimo muito bem escrito. Amei

Beijinho

FF

paty disse...

Simplesmente lindo!