quarta-feira, junho 02, 2010

Fixação


Fixação

São vinte quatro horas pensando em ti...
Nesta masmorra o tempo causa dó!
Entro no teu álbum, mas estou só.
Ainda vivo o momento que senti!...

Nos meus sonhos teu semblante sorri;
Acordo... Estou sozinho... Sinto um nó
a arrebatar meu coração de pó!
No jornal: - Teu nome está logo ali...

Uma música canta no meu som,
Nas notas há uma única visão:
Quero te encontrar: - Como? – Não sei!

Um dia qualquer acho que fui teu Sol;
Comandei o teu corpo com o amor Maior;
Até hoje brinco de ser teu Rei!...

Machado de Carlos

Publicado no Recanto das Letras
Código do texto: T1110294

23 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo e comovente, querido! Parabéns!
Desejo-lhe Boa Noite e deixo um mimo que amigo me ofertou e fizemos um dueto.

*Vem bem cedo ao nascer do dia

e ao fim da tarde ao anoitecer

carregada da mais bela poesia

traz consigo para me oferecer*


Quero criar contigo um mundo novo *

Onde só haverá o mar para nos assistir


É a mais bela e linda lourinha

que anda por aqui na blogosfera

orgulho-me desta amiga minha

porque é verdadeira e sincera*


E as estrelas da noite pr´a nunca nos julgar *
Onde os olhares vão substituir as palavras


*Muito dela eu tenho recebido

o carinho a alegria tem trazido

ela aqui sempre que pode vem


Então, vem dá-me o teu braço meu bem querido amigo*

Beijos
Renata

Mila disse...

Adoro poesia assim, que mostram a realidade dos sonhos...
Bsj
Mila

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bom Dia, querido*

*A música na sombra
O ritmo no ar
Um animal que ronda
No véu do luar

Eu saio dos seus olhos
Eu rolo pelo chão
Feito um amor que queima
Magia negra, sedução

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além

Aqui nesse lugar
Não há rainha ou rei
Há uma mulher e um homem
Trocando sonhos fora da lei

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além

Tão perto das lendas
Tão longe do fim
Afim de dividir
No fundo do prazer
O amor e poder

A música na sombra
O ritmo no ar
Um animal que ronda
No véu do luar

Tão perto das lendas
Tão longe do fim
Afim de dividir
No fundo do prazer
O amor e poder

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além

Tão perto das lendas
Tão longe do fim
Afim de dividir
No fundo do prazer
O amor e poder

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além.
O Amor e o Poder*
autor desconhecido.

Beijos

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

*ENTRE NÓS* POR QUE VC NÃO ENTRA PELA PORTA PRINCIPAL, EU E DAÍ?
ESTÁ ABERTA, NÃO PRECISA ACOMPANHAR O BLOG.
FIQUE À VONTADE PARA ENTRAR OU NÃO.
RENATA

Tania regina Contreiras disse...

Ah, musas felizes que fazem brotar seus versos! Acho que foi, sim, o sol...

abraços,
tania

Sandra Botelho disse...

O pior é acordar sozinho(a)
Isso dá uma vontadezinha de chorar...
Linda sua poesia.
Como todas aliás.
Bjos achocolatados

Pat. disse...

Quem um dia foi rei nunca perde a majestade... lembra-se disso?!

Querido Machado, impossível sentir tuas palavras e não voltar.

Beijo com carinho e desejo um feriado de alegria.

Srt . Vasconcelos disse...

Lindos versos, querido.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Assim mesmo,amigo. Amor quando vira saudade vira fixação. Parabéns.Um abraço

Wanderley Elian Lima disse...

Realmente existem pessoas que passam por nova vida e que viram fixação, mesmo querendo nem tem como tirá-las do coração.
Um abraço

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro Machado,

seus sonetos são impecáveis na estruturação dos versos, no ritmo, nas rimas, nos temas... Muito bom ! Obrigada pelo carinho tão especial lá no Sempre Poesia... Amei seu comentário. Grande abraço,

Úrsula

M@ria disse...

Para encontrar o azul eu uso pássaros.
Só não desejo cair em sensatez.
Não quero a boa razão das coisas.
Quero o feitiço das palavras.

(Manoel de Barros)


Saudações Poéticas...Saudades...M@ria

Carmem disse...

Olá, poeta.
Houve alguém um dia que disse que amor eterno, é só o que partiu.
A ausência é que eterniza o amor.
Porque a convivência desgasta-o.

É angustiante essa falta, essa saudade que asfixia, que passa a desvario, e aí a gente perde o "tino", chega à loucura...
E isso não é bom, não.
Ai, ai.


Boa semana,
abraço

Caminhos Poéticos disse...

"Os meus olhos
contemplam
a luz dos teus,
que ilumina
a minha alma!"

MAURICIO FREYESLEBEN

Amor & Paz na sua noite...M@ria

Caminhos Poéticos disse...

"Os meus olhos
contemplam
a luz dos teus,
que ilumina
a minha alma!"

MAURICIO FREYESLEBEN

Amor & Paz na sua noite...M@ria

ONG ALERTA disse...

Bonito, tudo tem seu tempo nesta vida, paz.
Beijo Lisette.

Pérola disse...

Vim te deixar o meu beijo de boa noite e agradecer o seu carinho.
Tenho certeza q eu já passei por aqui rs.
Seu poema é lindo,esse coraçãozinho esbanja emoções heim!!!.
Beijos amado.

REGGINA MOON disse...

Machado,

O amor tem esse poder, de transformar, de no fazer pensar em alguém até mesmo durante o sono...nos pensarmos Reis e Rainhas, rnvolvidos nesse sentimento tão complicado, e tão simples, que é o Amor.

Um grande beijo, tenha um ótimo dia!

saudades.....

Reggina Moon

♥ Sussy* disse...

Olá amigo que prazer de ler seus poemas tão bonitos
Eu gosto da essência que o derramamento com suas palavras tão bonitas
Obrigado por compartilhar sua inspiração mágica ...
Deixo um beijo de despedida.

CamilaSB disse...

A música que canta o poeta
é bela e apaixonante!
tem o fulgor das estrelas...
e o coração do eterno amante!

Parabéns pelo belo soneto! BJS

٭sofia٭ disse...

tienes alma de poeta, tus poesias son muy bellas, buen dia besos.

Carmem disse...

O romantismo exacerbado é sem dúvida, fonte eterna de inspiração.
Mas também o é a decepção, a ausência do amor,a saudade dele (amor).
Isto seria um debate para muito tempo.
Porque o amor pode existir de uma forma verdadeira, sim, e, por ser maltratado, ou, simplesmente, com as dificuldades do dia-a-dia, ou n outras razões, desgastar-se, esquecer-se de amar, chegar ao fim.

Mas que seja assim, meu querido poeta. Poeta que és, sem dúvida, e apaixonado convicto.
E QUE VENHA O AMOR!

Deixo-te Florbela Espanca:

« O meu Destino disse-me a chorar:
"Pela estrada da Vida vai andando,
E, aos que vires passar, interrogando
Acerca do Amor, que hás-de encontrar."

Fui pela estrada a rir e a cantar,
As contas do meu sonho desfiando...
E noite e dia. à chuva e ao luar,
Fui sempre caminhando e perguntando...

Mesmo a um velho eu perguntei:"Velhinho,
Viste o Amor acaso em teu caminho?"
E o velho estremeceu...olhou...e riu...

Agora pela estrada, já cansados,
Voltam todos para trás desanimados...
E eu paro a murmurar: "Ninguém o viu!..."»

abço

Cris de Souza disse...

Fixo a tua grandeza...