terça-feira, abril 13, 2010

Vida


Vida
Machado de Carlos

Guardo a tua imagem, a razão da vida
Dos amores, o teu nunca chega ao fim
Estás entre flores: — Meu tudo, enfim
Tu és mensagem, o meu pote de vida.

Sugo-te!... Que sinfonia! O som da vida!
Vivo num arpejo, só para mim
Vejo-te entre nuvens: — És anjo, sim
A clarear o meu dia, a força da vida.

Brilhas este andante! A cor da vida!
Tornei-me ébrio cantante (fiquei assim...),
Desnorteado e com fôlego no fim
Fui premiado! Reflexo de tua vida!

...Forças vitais voltadas para mim!
Oh! dias desiguais! Recobro a vida!...

4 comentários:

Sandra Botelho disse...

Todas as vezes que venho aqui me emociono...
Aqui tudo é lindo e os poemas teus são como sopros de sentimento. Bjos achocolatados.

Mulher na Polícia disse...

É um tema inesgotável o amor.
Fonte inesgotável de inspiração para os poetas.

Beijos!

Reggina disse...

Machado,

Belíssimo Poema, muito expressivo e repleto de romantismo...
Parabéns!!

Um beijo e ótimo final de semana!

Reggina Moon

♥ Sussy* disse...

Tus poemas son muy bellos, muy Profundos e inspirados,
Me gustan mucho* te dejo mis Saludos y muchos besos. hasta pronto.