terça-feira, novembro 21, 2006

Acalento


Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=1078

Canto teus olhos numa ode, menina!
Ouvi a tênue mensagem de cristal.
Quando estava na viagem espacial,
chorei ao som de tua voz cristalina.

- Uma carta chegou! - a letra domina,
a estampa tinha a marca da tua nau.
- Será que veio do mundo celestial?
Dela sorvi o perfume que ilumina.

Em dias fatigados tenho tua flor
Recebo forças... forças do teu amor!
... e navego feliz! É o teu mar...

Curvo-me, amor, ao poder da tua luz,
contemplo teu semblante no Céu azul...
Entorpecido, vou ao mundo estelar!...

Carlos,

2 comentários:

paty disse...

Cuvar-se diante do amor é o ato mais solene que pode existir.
Parabéns por tamanha sensibilidade.Beijos

Let disse...

dá medo curvar-se diante do amor...

obrigada pela visita