sexta-feira, fevereiro 10, 2017

Concerto Eterno


Concerto Eterno

A alegria nasce na tecla do piano
Muito sonhara com as luzes da aura
Ao vislumbrar a face; — Ah, poça d´agua;
da realidade do som neste Oceano!...

Tudo segue feliz além do plano...
No orbe estelar sentimos a flor da alma
E os castiçais rompem momentos mágicos
Com os carinhos certos; (— Soberano!)

Tudo se transforma no mundo, (— "ameno")
Na cadência do Amor Maior e pleno,
Passos a passos no tempo veloz…

Já podemos ouvir o canto virgem!...
Venceremos as crises da vertigem!
Nesta solidão; — não estamos a sós!

Machado de Carlos

3 comentários:

Maria Rodrigues disse...

Belíssimo soneto
Um abraço
Maria

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Belíssimo poema, Machado! Parabéns! Música e poesia se misturam desde Dom Diniz ao Cancioneiro Ibero-Português a passar pelos despiques e repentistas. O teu piano afina o som das palavras que vibram em sintonia com a alma a assistir o poeta e a assistir à poesia. Grande abraço. Laerte.

SILO LÍRICO - Poemas, Contos, Crônicas e Outras disse...

Belíssimo poema, Machado! Parabéns! Música e poesia se misturam desde Dom Diniz ao Cancioneiro Ibero-Português a passar pelos despiques e repentistas. O teu piano afina o som das palavras que vibram em sintonia com a alma a assistir o poeta e a assistir à poesia. Grande abraço. Laerte.