terça-feira, novembro 28, 2006

Minha noite está na onda do fado...

Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=1829


Minha noite está na onda do fado...
Os pensamentos voam além-mar...
No firmamento procuro a estrela pra amar;
- sou a única voz que se embriaga!...

Na aurora boreal apenas divago!...
(Conformo!...) - já estou no mesmo luar...
- Um bem-te-vi não pára de cantar,
Feliz mergulha ao fundo do lago...

Quero que teu sonho seja só meu;
que o brilho do anel róseo-camafeu
não seja somente uma fantasia!...

Nos versos quero ser o cancioneiro
a vibrar às margens do ribeiro,
E oferecer-te esta simples poesia...

Carlos

domingo, novembro 26, 2006

O SONETO


Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=943


- I -

Ela vem toda de vermelho... Um tesão!
Uma silhueta!... Uma pose tão bonita!
No espelho, vejo-a nua... Está tudo escrito:
Ela é minha!... leio os lábios!... suas mãos!

No Jeans está o bailar da emoção,
Meu pensamento some no infinito!...
Beijo a pele negra. Perco os sentidos!...
Nas pernas roliças fujo à razão!...

- II –

- Beleza púrpura: - És diferente!...
Perco-me nos teus seios comoventes,
Beijo teus lábios, num gozo sem nexo!

Absorvo o perfume da tua flor;
E sem rumo me lanho no teu amor!
No ápice, morro no teu sexo!...

Carlos,

sábado, novembro 25, 2006

ALMA IRMÃ



Machado de Carlos

http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=172

Navegava na tempestade fria;
Procurava quem me ensinasse o Sol.
— Oh! – Como eu era triste! Como sofria!...
Acolheste-me no teu amor maior.

Na tua meiguice vi o claro do dia;
Tudo se floresceu ao derredor!
Passei a viver horas de fantasias;
Hoje a minha vida tem mais cor...

No meu jardim cultivo uma rosa;
Ouço tua música!... Minh’alma cora!...
Tuas letras d’ouro... já sei de cor!

Peço a Deus, nunca esquecer teu perfume,
Com ele pude encontrar o lume,
Que me levará, um dia, ao teu esplendor!...


Carlos,

sexta-feira, novembro 24, 2006

O AMOR


Machado de Carlos

O tema central da minha poética é o amor. Em cada verso tento cantar o amor, da maneira mais sublime que a própria palavra. Uma palavra que ao meu ver, denota uma profundidade infinita. Quando amamos uma pessoa, queremos ver esta pessoa feliz. Ao notarmos a falta de felicidade nessa pessoa, fazemos de tudo para que ele seja feliz. Em contrapartida, o nosso egoísmo exige que aquela pessoa nos ame com a mesma intensidade. Aí, começamos a estudar cada movimento, cada frase, cada ato daquela pessoa; para encontrar respostas positivas ou negativas. Então, às vezes, nos deparamos com o ciúme, que é um jato de anticorpos, que emitimos, para proteger o nosso amor diante da nossa própria fragilidade. Mas o amor é a alavanca que move o ser humano. Não vivemos sem ele. Quando o amor nos falta, de um lado, sofremos. Perdemos o nosso sono. Perdemos o nosso equilíbrio, enfim. Quando encontramos a pessoa amada, o amor nos faz sonhar. Melhora nossa auto-estima. Nos faz sentir mais gente. O Sol nasce mais colorido. A Lua parece sorrir.Descobrimos a palavra saudade quando se está distante, e, é um sofrimento benéfico, quando temos a certeza de que somos amados. Ribeirão Preto, 29 de janeiro de 2004. 23h40 min.

O PÁSSARO


Machado de Carlos

http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=1895


Um pássaro azulado estava preso em sua gaiola. A única comunicação com o mundo era um pombo correio-correio, que todos os dias, sem falta; passava por lá e lhe trazia notícias. Através dessa ida e vinda de correspondências uma linda pássara encantada conheceu o pássaro azulado. Ela conhecia apenas a sua letra. Adorava a letra do pássaro. Começou a lhe entregar, diariamente, muitas cartas. Nas cartas nunca deixava de elogiar as idéias do pássaro, preso na sua gaiola particular. De outro lado o pássaro não entendia bem aquele volume de cartas que entortavam o bico do amigo pombo-correio. Pudera, a passarinha escrevia coisas lindas! O pássaro foi gostando dessa idéia e se sentiu cativo de tantas cartas perfumadas. Certa vez, como prometera, a pássara encantada apareceu por lá. Apaixonaram-se. Foram felizes! Bem, a pássara era nômade e tinha a sua natureza. Contra a natureza não se deve lutar, não é? O pássaro azul também tinha a sua natureza, porém, era preso. A pássara encantada foi-se. Tinha lá outras visitas. Nunca mais deu trabalho ao pombo-correio, que todo dia chegava com o seu bico praticamente vazio. Só restava ao pássaro escrever mais cartas a esmo. Sentia a falta da pássara. Chorava, chorava, chorava!... Hoje voa livremente no Além-túmulo! Ribeirão Preto, 09 de janeiro de 2004 00h02 min.

quarta-feira, novembro 22, 2006

FIM




Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=977

Ele segue sem rumo, desnorteado!...
Perdido no tempo ainda é criança
Na memória há a menina de trança!...
Na condição de réu, fica calado.

O poeta morreu desesperado...
Deixou - de vez - uma eterna aliança;
Foram-se os sonhos e as esperanças;
Tudo ficou no arquivo do passado.

Um dia chegou com jeito de gana!
Pensou que seu mundo era só chama;
Quis abrir os arquivos da memória...

A vida mostra os desenganos,
Tudo se perde ao corroer dos seus anos,
A morte do poeta marca a história!...

terça-feira, novembro 21, 2006

Acalento


Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=1078

Canto teus olhos numa ode, menina!
Ouvi a tênue mensagem de cristal.
Quando estava na viagem espacial,
chorei ao som de tua voz cristalina.

- Uma carta chegou! - a letra domina,
a estampa tinha a marca da tua nau.
- Será que veio do mundo celestial?
Dela sorvi o perfume que ilumina.

Em dias fatigados tenho tua flor
Recebo forças... forças do teu amor!
... e navego feliz! É o teu mar...

Curvo-me, amor, ao poder da tua luz,
contemplo teu semblante no Céu azul...
Entorpecido, vou ao mundo estelar!...

Carlos,

sábado, novembro 18, 2006

ORAÇÃO


Machado de Carlos










Senhor, Vós que sois toda Luz Suprema,
Dizei-me, onde encontrar minha querida,
A mais bela flor da minha vida;
Que perfumou, um dia, minh’alma pequena?

Ela afagou-me nas noites serenas;
Curou os males... minha intensa ferida!
Mas foi-se sem adeus... sem despedida...
Hoje sofro na noite que envenena.

Vós que Sois de Infinita Bondade,
Apagai este véu, esta saudade!...
Preciso encontrar o meu coração!

Sei, a morte chegará na realidade;
Creio, Senhor, na santa imortalidade;
...E de alma livre chegarei à razão!

sábado, novembro 11, 2006

ESPÍRITO PROTETOR


Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=1006

Ela vem com singular alegria!
Espalha suas rosas ao amanhecer!...
Enriquece, sem tributos, meu ser,
com a voz afetuosa de um bom-dia!

- De onde vens, anjo, cheio de melodia?!
- Teu verbo harmoniza o meu viver!
Quando a jornada chega ao anoitecer,
Ela vem e abençoa o fim do meu dia!...

À noite, ela volta, e parte pro além!...
Será o sorriso de mais alguém...
Que ainda não tem a luta por vencida.

Outro dia!... Vou atrás da felicidade
Procuro, de novo, a sua bondade!...
- Donde vem esta alma tão querida?!...

terça-feira, novembro 07, 2006

SIMPLES



Machado de Carlos
http://ilove.terra.com.br/autores/TEXTO.ASP?idpi=1113


Caminhei... A maré salientava o teu canto.
Reencontrei o meu amor. Voltei ao tempo, à raiz!
- Incrível a tua flor! A tua boca de anis!
Sorvi teu beijo tépido qual ouro santo.

Tremi no teu balé! Tive a luz do recanto
Inspirei-me na cor. Resumi o teu matiz!
Amo-te com ardor. Gravo um verso feliz!
Nobres são teus pés. Tenho teu rosto de encanto!

...! e os astros do Céu?! A Lua iluminou meu anjo lindo,
com sua timidez nua nos abraça sorrindo!...
Os raios quase nus tocam tua veste – um sal!

Urge bela união. É o teu poema no cio...
Tenho teu coração e o amplexo no rio...
O momento é de luz. Tua alma é o meu fanal!...